Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

27.02.21

Lago Brienz na Suíça... ou será que é o Paraíso ...?!


Maroussia

154446389_289815822490665_4383070597816278143_o.jp

O nosso Portugal é lindo mas... precisávamos muito de preservar a nossa beleza do passado.  Reconstruir e não destruir. 

Hoje e cada vez mais, troca-se o "antigo" pela modernidade (para mostrar que somos um País para a "frentex") por  uma variedade de palacetes e prémios Valmor, onde a beleza e todo um conjunto de qualidade se destaca, pese embora, haja boa arquitectura moderna e, conceituada pelos seus criadores !!

Modernices, penso eu de mim para mim... para uma maioria serei uma "retrógada" (em sentido figurado), e talvez o seja, a nível de arquitectura e todo o meio ambiente natural.

Na realidade pouco ou nada do "moderno", se compara e merece, um contemplar que me extasie,  que poderá ser muito parecido com a imagem que postei. Mera opinião pessoal que, em nada se assemelha a uma crítica destrutiva. Será mais, um "desabafo" partilhado !!

Um Bom final de Semana !
 ®Maria Cabral 

24.02.21

Porque neste momento sofrido por milhões de pessoas, já prolongado em mais de um ano... Não se "vislumbrando" ainda, um próximo e desejado "fim", dar umas boas gargalhadas, aquece-nos a alma e revigora a mente.


Maroussia

Em 1963, Frinton's Dinner for One foi gravado pela estação de televisão alemã Norddeutscher Rundfunk (NDR). O papel da Srta. Sophie foi interpretado por May Warden . Assistir ao esboço (sem legenda) em inglês na televisão tornou-se subsequentemente uma tradição alemã, austríaca e suíça na véspera do Ano Novo , com várias repetições do curta-metragem cômico exibido todos os anos a partir de 1972. (wikipédia)

Sem querer desprestigiar seja quem for, partilho a mesma versão levemente colorida e legendada em espanhol. Penso que para algumas pessoas, seja mais acessível o idioma. Perdoem-me se firo susceptibilidades, não é essa de todo a minha intenção mas sim, uma escolha mais a contento de cada um.  


Quando a Arte e os bons actores, têm o dom de nos fazer rir, com uma postura desconcertante na sua "elegância", sem ter de recorrer ao grosseiro, que por vezes de tão vulgar, não passa disso mesmo, penso valer a pena levá-la ao conhecimento, de quem nunca tenha assistido a esta "delícia" .

Fazer humor com classe, não é para todos, mas estes Srs. actores de seus nomes:  Freddie Frinton e May Warden, deixaram-me ainda mais rendida ao teatro, que se fazia nos anos 50/60.

Espero que gostem e se divirtam como eu me diverti  com esta curta mas riquíssima encenação teatral.  Outras versões se fizeram depois mas, nada chega à original. 
®Maria Cabral 

21.02.21

O Caminho, faz-se caminhando... assim, que se aproveitem as "caminhadas" !!


Maroussia

Não me vou alongar muito... a Vida é isto, com altos e baixos mas, nada podemos fazer para recuar no tempo. Assim sendo, vamos ter de a ver pelo angulo positivo, sonhador e de preferência, na cumplicidade e companheirismo de quem "escolhemos", para fazer parte dela. 

Sei que nem sempre é assim mas, como sou uma incorrigível sonhadora, pesem embora todos os (meus) "pesares", quero crer que com um pouco de esforço, vamos conseguir chegar ao fim da "linha" com o gosto do "dever" cumprido.

A beleza, a "ingenuidade" e sobretudo a doçura deste vídeo animado, anima-me (passe o pleonasmo) a partilhá-lo, na esperança que possa dar a quem o quiser ver, a mesma emoção que eu senti, e que retirem dele o melhor para cada um,  "per se" !!

O Amor, será sempre a nossa maior força, seja em que situação for, que a Vida nos coloque, até ao fim da mesma...!! 
®Maria Cabral 
 

19.02.21

desesperadamente, cheguei onde temia... a um "processo" de desespero...!!


Maroussia

lagrima cinza.jpg

Desespero... perante esta prisão imposta, sem ter cometido crime algum
Desespero... pela "mordaça" que me impede de respirar livremente,

Desespero... por não poder "viver" como um ser Humano, no seu "comum"
Desespero... porque tenho de atentar aos sinais, que nos "colocam" na mente.

Desespero... pelo terror, em meu redor, quais "zombies" num filme de ficção,
Desespero... porque me faltam os abraços, os afectos e por isso, estou carente.

Desespero... porque o momento é deveras confuso, enquanto espero uma solução,
Desespero... por tudo e por nada, num vazio de vida que vivo, condicionadamente.

Desespero... pelo que perdi todo este tempo, mais o que terei ainda que perder,
Desespero... porque as minhas "forças" ameaçam faltar-me a qualquer momento.

Desespero... porque cada dia que passa, é sempre vivido na perspectiva do "saber",
Desespero... porque tudo se resume a "tanto", e penso se para mais... terei "tempo" !!

®Maria Cabral 

ano

Relógio

Pág. 1/3