Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

17.07.20

Prisioneiros por mal fazer. Nunca se saberá o dia de amanhã, o que neste momento é uma verdade, pode ser atraiçoada pela mentira, que haja bom senso na nossa mente e bondade nos nossos corações, para que possamos estar sempre do lado da Justiça...


Maroussia

fc7a99bf48a9a14a7913ab9dcecefa97.jpgimagem by internet

Através das grades de uma prisão
pensam quase sempre negativamente,
sejam, um criminoso ou mesmo um ladrão
quiçá, seja grande o remorso que sentem.

Sabem-se culpados e nisso têm razão
porque por mal fazer, ali se encontram,
neste momento a sua casa é a prisão
porque lá, tem de pagar os que afrontam

Uns de maus que são, nem se arrependem
mas esses nem sequer são dignos de perdão,
porque até a própria alma ao diabo vendem
são gentios e vis, desprovidos de coração.

Outros existem que sofrem de arrependimento
e por sentirem a culpa, vivem mal a solidão,
contando com ansiedade cada momento
vão sonhando com o dia, em que dela sairão.

Sejamos humanos, não julgando precipitadamente
porque dentro de cada prisioneiro bate um coração,
embora sem dúvida, possam ter agido erradamente
os prejuízos cometidos, estão a ser pagos na prisão.

Quando chegar o esperado momento da sua liberdade
não olhem com desdém ou como um seres estranhos,
as suas Dívidas , já as pagaram, em dura realidade
já tiveram a sua conta, medida, em pesos e tamanhos.

Vamos dar uma outra oportunidade ao “homem”,
ao que possa existir de bom em cada prisioneiro,
pela sua reinserção que algumas medidas se tomem
não sejamos nós “sociedade”… mais um carcereiro.

®M.Cabral

Nota de autora: Espero não ferir susceptibilidades e muito menos parecer ser "Advogada do Demo" mas há casos e casos, e mesmo sendo apologista que as penas devem ser rigorosas e para cumprir na íntegra, penso que todos nós sujeitamos-nos a errar, daí pensar que mesmo e também eles, os "prisioneiros", merecem uma segunda (não mais) oportunidade...!!