Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

17.10.20

Divagação ou a tão famosa "crise" de identidade ... pois, não sei !!!


Maroussia

miades.jpg

De repente dou por mim a pensar na minha pessoa. Será que me "conheço" tão bem quanto penso ?

Sei que poucas ou quiçá nenhuma, pessoas me conhecem de todo. A culpa é minha que não me dou a conhecer nessa "totalidade" da entrega... reservo-me e preservo-me e concluo agora, que essa atitude traz-me sofrimento.

Aqui entra a minha dúvida, será que eu mesma me conheço ?
Só assim encontro a razoabilidade deste fechar-me em "concha", perante os outros, pese embora consiga socializar, com toda a normalidade e razoavelmente bem.

Claro que todo este "desentendimento" instalado dentro de mim, tem consequências, traduzidas em "solidão", num labirinto interior.

Quando exteriorizamos o nosso "estar", seja bom ou mau, sentimos o "feedback" de outrém.

O apoio em forma de palavras, de um abraço, um simples toque de mãos, algo que nos lembre que, alguém está ali para nós e tudo fica senão mais fácil, menos difícil será de certeza.

É aí que eu "saio" a perder... quando deixo que o "subconsciente" se sobreponha ao "consciente".

Daí esta minha interrogação... será que me "conheço" tão bem quanto penso ?

Um dia irei descobrir. Talvez me comece a entender melhor e assim, possa entender melhor os outros. Ninguém é perfeito.

Não hoje, não estou no "tempo" certo, se é que existe tempo certo para alguma coisa... !!??

@M.Cabral

04.08.20

Pensamentos ao acaso, mas... não por acaso !!


Maroussia

ás vezes penso.jpg

Por vezes interrogo-me porque serei tão difícil de entender. Depois deduzo que seja... Porque digo o que sinto e não o que penso e a grande parte das pessoas, age de maneira inversa.

Certa ou errada... para mim, o sentir será sempre mais racional que o pensar.

Podemos pensar agora algo e daqui por uns segundos mudamos o pensamento. Já o sentir, quando de verdade, fica "impregnado" em nós, por tempo indefinido.


®M.Cabral