Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dissertando sobre a Felicidade...! Não é fácil, mas também não é difícil ser feliz, basta que saibamos recolher os nossos "cacos", colá-los e seguir em frente, cuidando o mais possível para que não se partam demasiadas vezes. Será isto ??!!

Terça-feira, 15.09.20

 

 

Você é Feliz???
 
A verdadeira felicidade está em si quando conseguir... Viver, Sonhar e Sentir o que lhe dá prazer. Só assim  poderá responder.
 
Se está perdido…Pare ! Não continue a seguir por esse caminho porque ficará ainda mais perdido.
 
O primeiro passo é saber o que quer para a sua vida.
O segundo passo é planear as suas metas.
O terceiro passo é colocá-las em prática, não deixando que interfiram nas suas acções. Sei que é difícil mas, não consegue se não tentar.
 
Muitas  pessoas vão criticar, negar, contrariar as suas opções, por  isso não  peça  opinião a outros e siga em frente.
 
Siga sempre e apenas, o que lhe "disser" o seu coração.
Quando se sentir aliviado, em paz consigo e com as suas acções, descobrirá que a felicidade está ao seu lado, caminhando junto a si como uma boa companheira.
 
Ser feliz depende única e exclusivamente de nós, procure dentro de si a felicidade. Ame-se em primeiro lugar, só assim poderá amar os outros.
 
A felicidade é feita de momentos, temos de saber identificá-los e aproveitar ao máximo. Está em pequenas coisas do nosso dia a dia, algumas que não podemos tocar mas, podemos senti-las com o coração.
 
Pense em tudo o que leu e seja Feliz.
 
Afinal não é tão impossível assim, e sem tentarmos jamais saberemos.
 
 ®M.Cabral  (apoiada num texto que li)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maroussia às 12:39

A Vida ensina-nos "tudo" e ainda, mais alguma coisa, todos os dias...!!

Sábado, 15.08.20

 

 

A Vida, será sempre a  nossa melhor "Mestra", porque todos os dias  nos dá vários ensinamentos muito abrangentes,  pese embora, á "posteriori" quase  tudo se vá resumir, ao nosso comportamento. 

A forma  como lidamos, com tudo o que assimilamos para a nossa vivência, é que nos faz tomar o rumo mais correcto e positivo. Como tal devemos aprender a valorizar o bom e o mau do mesmo modo.  

As coisas boas servem para nos dar momentos felizes e que depois com o passar do tempo, se vão transformando em boas memórias. 

As menos boas, servem para retirarmos ilacções e tentar o equilibrar a nossa aprendizagem, com as atitudes adequadas. 

Por outro lado... as coisas más, sendo algo de que não gostamos, também nos ensinam e muito. São as melhores lições para sabermos tudo aquilo que não queremos repetir, tolerar, aceitar e consentir. 

Se nos regermos por estes três pontos de "referência", por certo tudo se tornará mais fácil e menos problemático. 

Penso eu "de" que... possa estar certa !!
 
®M.Cabral  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maroussia às 16:38

Uma narrativa por dia... !!

Segunda-feira, 10.08.20

um-desenho-da-mão-de-uma-mãe-nova-com-seu-filho-desenho by net 
                                Narrativa do Dia -  " Uma Lição de Vida...!! "

Do portal da minha casa, avistei ainda ao longe, duas crianças. Uma delas talvez com os seus quinze anos, a outra de tenra idade.
À medida que se iam aproximando, apercebi-me que a mais crescidinha deu uma palmada na mais pequenina.

Como adoro crianças e achei um pouco imatura aquela palmada, dada talvez impulsivamente, dirigi-me à rapariga e disse-lhe em tom maternal, que não devia de bater assim no irmãozinho, pois que ainda era pequenino.

Educadamente, talvez por reconhecer que a minha intromissão não era de censura maldosa, mas mais de conselho e experiência, respondeu-me sorrindo. Este menino não é meu irmão, é sim meu filho e, pode crer que é aquilo que eu mais adoro na vida.

Um pouco apanhada de surpresa, pedi-lhe desculpa e ainda intrigada atrevi-me a perguntar-lhe quantos anos tinha. Disse-me com um ar de mulherzinha, já tenho dezassete anos, embora pareça ser mais nova.
Encetámos conversa, onde comentei que ela tinha sido mãe muito cedo e, por curiosidade perguntei que idade tinha o namorado.

O seu rosto de criança, feita mulher à pressa, entristeceu um pouco mas respondeu-me com veemência: não tenho namorado, este menino é só e apenas meu.
Perguntei então, antevendo a resposta, se o pai da criança não tinha meios económicos para compartilhar no seu sustento.
Neste entretanto, fiz-lhe um convite para um café que ela aceitou e começámos a conversar, como se fossemos amigas de longa data.
Talvez por carência afectiva ou necessidade de desabafar, relatou-me então a sua história.
Engravidou aos catorze anos de um homem casado que tão covardemente não quis assumir o acto que impunemente tinha feito, antes pelo contrário, tentou aliciá-la para que fizesse um aborto, mas ela criança (mulher), recusou com todas as forças de quem já se sentia mãe. A partir daquele momento nunca mais quis ver aquele monstro em formato de homem.
Recorreu-se dos pais, julgando encontrar neles a força e apoio, para os momentos duros que se anteviam.

Mas, nem aí a sorte lhe foi favorável, pois ao contrário do que ela pensava, aqueles pais tinham um cérebro onde imperava a estupidez e o desamor, e o desenlace deu-se, com a sua expulsão de casa.

Encontrou refúgio em casa de uma senhora idosa, sua amiga que, para além de a acolher ainda lhe arranjou emprego, pelo que dá graças a Deus por aquela amizade que, todavia se completa pela necessidade que têm uma da outra.

Nasceu o menino e foi uma felicidade para ambas e aquela criança tem o amor de duas pessoas maravilhosas, o da mãe e o da "vovó", que é assim que o menino chama a "velha" senhora.

Comovida, pois também sou mãe, disse-lhe que lamentava que uma pessoa  doce e tão jovem,  fosse assim precocemente infeliz.
De imediato me respondeu que, de infeliz não tinha nada, antes pelo contrário, pois tinha saúde, juventude, um tecto para morar, emprego e a maior razão de viver que era aquele filho que tanto amava. Tinha portanto a maior felicidade do Mundo.

Coloquei-me ao seu dispor, para sempre que precisasse de algo ou simplesmente de um ombro amigo e, seguimos os nossos caminhos.

Ao regressar a casa, pensava comigo mesma. Como há gente tão mesquinha, que se julga infeliz só porque não pode comprar um vestido novo ou o carro do ano.

Pobres patetas, os que não vêm que a verdadeira felicidade está, em nos contentarmos com as pequenas mas importantes, coisas da vida, tais como, um emprego, saúde, um tecto para morar, a amizade de alguém e sem dúvida o mais importante, um filho.

Ninharias... pensarão os que não compreendem o sentido desta lição de vida, que nos é dada por uma criança, feita mulher !!

autoria de__ M.Cabral_pt®

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maroussia às 00:25

Uma narrativa por dia... !!

Quarta-feira, 05.08.20

 

imagesidosos.jpgimagem by net

Narrativa do dia - “ Sem idade para Amar !! ”

Numa tarde "ensolarada" de Setembro, depois de sair do emprego, apeteceu-me deambular um pouco pelas ruas de Lisboa, acabando por atravessar um bonito jardim, para sentir-me mais perto da Natureza e respirar um pouco, de ar menos poluído.

Distraidamente, os meus olhos pousaram num casal que, pela sua maneira de estar me comoveu.
Dos seus rostos emanava felicidade e uma doçura que se completava pelo entrelaçado das suas mãos.

Isto nada teria de admirável, se o casal em referência, não estivesse na casa dos 80 anos de idade.

Não me contive e acerquei-me timidamente, pedindo desculpa da minha intromissão mas, ao mesmo tempo incentivada pelos seus sorrisos.

Depois de os saudar, perguntei-lhes há quanto tempo eram casados, explicando-lhes de seguida o porquê da minha pergunta. Já os vinha a observar ao longe e, era para mim um deleite ver um casal assim, depois de tantos anos, ainda com aquele ar tão apaixonado.

Entreolharam-se e rindo com um ar feliz, responderam-me quase em uníssono.

Casados ??

Perante aqueles risos e aquela expressão (penso que a minha cara de embaraçada os fez ter "pena" de mim), de pronto me esclareceram, mantendo sempre aquele sorriso fácil.

Nós não somos casados. Conhecemo-nos há um ano no mesmo Lar que habitamos, e começámos a namorar faz hoje um mês.

Fiquei sem palavras e com lágrimas de comoção, apenas consegui dizer sorrindo, que gostaria de ser convidada para o casamento, algo que seria para mim muito gratificante.

Com um ar maroto me retorquiram... Com toda a certeza e mais ainda, que com muito gosto me receberiam como madrinha.

Sorridente, agradeci a honra e depositando um beijo  naqueles rostos enrugados, despedi-me carinhosamente,  voltando-me para eles um pouco mais á frente para  lhes acenar com ternura..

Segui o meu caminho de sorriso nos lábios, sem me aperceber se as pessoas olhavam ou não para mim, a pensar comigo mesma, que o Amor será sempre, o maior sentimento Universal do Ser Humano, independentemente de credos, raças e idades.

autoria de__ M.Cabral_pt®

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maroussia às 21:53

Família... não é só e apenas uma "união" de pessoas, também tem muito a ver com o "aconchego" de se saber "transformar" uma casa, em um Lar Doce Lar. Poderá parecer a mesma coisa mas... há muita diferença !!

Sexta-feira, 19.06.20

94887707_2515002298739901_7970434775582244864_o.jpimagem net 
" O Meu Lar " 

No meu Lar simples, rico em carinho
tenho nele tudo o que mais almejo,
sinto-me tal qual, pássaro no ninho
de pouco mais, posso sentir desejo.

Somos uma família bem singela
mas sabemos como ser felizes,
uma porta e uma florida janela,
assim se vão ganhando raízes.

A família é sempre o mais importante
para a boa construção de um Lar,
tudo se constrói quando se é constante
depende de como soubermos liderar.

Se nem sempre se está de acordo
não há vencedor nem vencido
porque se existe algo que está “torto”
de alguma forma terá de ser corrigido.

Das coisas que num Lar mais interessa
o saber dialogar, é uma delas de certeza,
reflectindo, sem tomar decisões á pressa
é a receita para para uma relação coesa.

Marido e Mulher devem-se sempre respeitar
com compreensão e também mútua cedência,
de seus filhos, nunca se devem “apoderar”
mas sim, encaminhá-los com complacência.

Jamais alguém se deve tentar sobrepor
porque a família é singular, mas no plural,
de pessoas com algumas diferenças de "interior"
mas onde todas, se completam num final.

Assim, vos deixo simplesmente retratado
a "visão" do conceito da família e de um Lar,
que nem sequer é necessário ser muito abastado
para no mesmo, a "felicidade" imperar !!


**escrito algures nos anos 80, sob a concepção feminina
da altura !

*®M.Cabral

Autoria e outros dados (tags, etc)








mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

O Tempo não pára... !!


calendário

Fevereiro 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28




Internet Radio