Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

23.07.20

Oh coisa simples, para onde foste ? eu só queria voltar ao "lugar" que antes conhecia... !!


Maroussia


Está tudo aqui... na musica, na letra e até nas imagens.  As saudades levam-me há uns meses atrás em que... mesmo no escuro sabia por onde caminhar, conhecia os "caminhos", as pessoas, as coisas.
Num repente todas essas "grandes" conquistas do dia a dia, que eram relativizadas, se tornaram numa bomba poderosa. Passei a ter a noção que posso "tropeçar" nela sem querer, com todos os cuidados, mas é um  perigo "iminente". Mesmo que consiga sair mais ou menos ilesa, as "cicatrizes" vão ficar para sempre, porque com ou sem estilhaços, está e vai ser por muito tempo marcante, pelos "estragos" que fez e todos os que indirectamente, faz aumentar e agravar... !!

®M.Cabral  

15.06.20

Infelizmente, cada dia que passa, a matemática da adição, se agrava ainda mais... penso que neste momento "desolador" que se atravessa, a situação está a ficar sem resolução visível...!!


Maroussia

man-4950225_960_720.jpg by net

” DESEMPREGADO “

Procura ansiosa e teimosamente
um lugar qualquer para trabalhar,
ouve nãos, quase constantemente
e tem uma família para sustentar.

Vencido e cansado, os pés doridos
já nem sabe que argumentos usar,
com os seus sentimentos tão feridos
de porta em porta continua a procurar.

Para uns, não chegam as habilitações
para outros, já passou dos quarenta,
mas mesmo sujeito ás humilhações
ele continua sem parar e, tenta…

Tenta, quase que ferido de morte
quando alguém lhe fecha a porta,
a lutar e remando contra a sorte
a sua alma, já sente quase morta.

Qualquer trabalho para ele já serve
pois nem tem a audácia de escolher,
e de raiva o seu sangue quase ferve
porque jamais, algo lhe fez tanto doer.

Mas hoje quem vive neste Mundo Cão
todos aqueles que querem trabalhar,
para não faltar á sua família com o pão
um dia, vão acabar por ter de esmolar.

®M.Cabral

07.03.20

De repente, sou "assaltada" pela culpa, de não me ter proporcionado a mim mesma, a realização de um Sonho...!!


Maroussia

Nem passou tanto tempo assim, pouco mais de 2 meses, que assisti como todos os anos faço, através da RTP a mais um Concerto de Ano Novo. Faz parte da minha celebração de mais um ano.  E neste momento, na eventualidade de alguém ler estas minhas palavras, irá pensar que estou a "destempo", talvez até, que seja descabido nesta altura, este vídeo. Não pela beleza da música, nem pela magnificência da Orquestra e de quem a dirige e muito menos pela excelência do seu compositor Radetzky, mas sim, porque está "fora" de tempo. 
Todavia, tudo tem uma razão de ser e a minha é que, o meu grande sonho "seria" (porque cada vez está mais distante a sua realização) assistir a este Concerto ao vivo.
Por várias razões, umas mais outras menos importantes, fui adiando esse sonho, que talvez agora, não vá passar mesmo e apenas, de um grande Sonho...!!
Com esta "conversa", quero chamar a vossa atenção para que não cometam o mesmo erro que eu cometi.  Os sonhos não se adiam, porque de repente, o tempo se encarrega de impedir de os realizarmos.
Lutem pelos vossos sonhos e realizem-nos se forem plausíveis, porque quando olhamos para trás, já o tempo tomou conta deles...!!

®M.Cabral

25.11.19

Sem título... porque não consigo dar-lhe um !


Maroussia

cerveja-bebendo-do-homem-só-infeliz-na-barra-ou-nimagem net

“ SEM TÍTULO “

De bar em bar, ele vai bebendo
porque o faz ninguém lhe perguntou,
talvez porque assim, menos vai sofrendo
por ficar sem alguém que o "abandonou".

O mais doloroso é que foi sem querer
pois quem ama não abandona o ser amado,
maldita a sorte, porque tinha de morrer
quem a vida mal tinha começado.

Amavam-se quase desde crianças
nenhum sabia como tudo começou,
o futuro, tinham-no cheio de esperanças
até ao dia em que a droga nela entrou.

Todos os castelos se espalharam pelo chão
todos os seus sonhos se desvaneceram,
porque com eles entrou essa maldição
lutaram forte mas, nem assim a venceram.

É triste como acaba horrivelmente
uma realidade que prometia ser tão bela,
já sem forças, ela não quis o suficiente
deixou que outros “vivessem” por ela.

Nem a força daquele imenso amor
chegou para a resgatar daquela vida,
para ela tudo perdera o seu valor
era como tantas, uma causa perdida.

Ele agora desgastado e consumido
bebe copo atrás de copo já sem gosto,
para não sentir o coração demais sofrido
tentando atenuar a dor do seu desgosto.

Quem dera que estas palavras bastassem
para dar suprema força a todos os viciados,
a DROGA, que todos eles a abandonassem
para serem livres e não viverem acorrentados.

®M.Cabral