Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

25.12.20

Dois Grandes Srs do Mundo da Música - RIP - com memórias que nos deliciam, para encerrar este Natal que tanto nos fez sofrer... Que no próximo ano, sejamos " compensados ", de tudo o que de melhor perdemos, para além das vidas e Saúde...os afectos !


Maroussia

A morte não existe, a vida sim.  Vivemos num "patamar" de passagem.  Continuamos a viver, quando deixamos este "patamar" para nos elevar-nos num outro superior. 

Assim, de patamar em patamar, vamos "vivendo" no etéreo... - O corpo será uma efemeridade - A realidade do "sempre", tem o nome de eternidade.

E se dúvidas houver, basta apelar às nossas memórias e vislumbrar quantos momentos vivemos, que nos colocam numa dúvida espiritual, se já os vivemos antes. 

Este tema é complicado, porque está "dentro" do cepticismo de muitos, na dúvida de uns quantos e na "aceitação ou credibilidade" de alguns.  

Não vou  alongar-me  mais... não quero  de todo, tomar o vosso tempo com algo tão problemático, que consegue dividir a Humanidade.

Espero que gostem deste vídeo. Duas gerações interagindo, unidas pelo mesmo motivo...  A música.  Essa sim, será sempre eterna !!!  
FESTAS FELIZES 
 ®M. Cabral

10.09.20

O poder de "Uma Música no Coração"... !!


Maroussia

 


02.09.20

SalazarGalhães - O famoso "Magalhães" escolar, em versão arcaica ...!!


Maroussia

quadro de giz00.jpg

E porque a vida não é só feita de tristezas e de vez em quando faz bem um pouco de humor, não quis deixar de partilhar com quem por aqui passa, algo que encontrei e me trouxe boas memórias... afinal apesar de tudo, nem sempre ser como deveria, é muito bom ser criança, e melhor ainda é conseguir mantê-la dentro de nós...!!

Eu tive um que cuidava com muito bem. Muitas são as vezes que recordo com saudades, os meus tempos de escola.

Por certo que muitos de vós, tiveram um também. E lembram-se como funcionava ás mil maravilhas, por vezes, até com o "ecran" rachado. Vinha com prova dos nove "incluída" e tudo !!

Era o nosso "Magalhães" da altura, onde aprendemos muito e talvez melhor, apesar do "software" ser arcaico. Neste pelo menos os "erros" eram notados e emendados de imediato.

Eu ainda recordo bem, como se "formatavam" todos os dados e vocês ?? 

®M.Cabral

15.08.20

A Vida ensina-nos "tudo" e ainda, mais alguma coisa, todos os dias...!!


Maroussia

 

 

A Vida, será sempre a  nossa melhor "Mestra", porque todos os dias  nos dá vários ensinamentos muito abrangentes,  pese embora, á "posteriori" quase  tudo se vá resumir, ao nosso comportamento. 

A forma  como lidamos, com tudo o que assimilamos para a nossa vivência, é que nos faz tomar o rumo mais correcto e positivo. Como tal devemos aprender a valorizar o bom e o mau do mesmo modo.  

As coisas boas servem para nos dar momentos felizes e que depois com o passar do tempo, se vão transformando em boas memórias. 

As menos boas, servem para retirarmos ilacções e tentar o equilibrar a nossa aprendizagem, com as atitudes adequadas. 

Por outro lado... as coisas más, sendo algo de que não gostamos, também nos ensinam e muito. São as melhores lições para sabermos tudo aquilo que não queremos repetir, tolerar, aceitar e consentir. 

Se nos regermos por estes três pontos de "referência", por certo tudo se tornará mais fácil e menos problemático. 

Penso eu "de" que... possa estar certa !!
 
®M.Cabral  

07.08.20

Uma narrativa por dia... !!


Maroussia

21567600_4z1qc.jpeg
                Narrativa do Dia - Hoje... chorei (sem data, no tempo) !!

Há sempre aquele "tempo" certo para soltar emoções...eis que de repente, sinto uma enorme vontade de molhar os sulcos do meu rosto, com lágrimas sentidas e que... apetecem-me.
Durante uma parte da minha vida tentei ser o mais contida possível. Formal, correcta, simpática, educada, humana, compreensiva, arvorando os valores que fui absorvendo, como importantes para viver em "comunidade".
Não posso dizer que "engolia" sapos, até porque sempre soube dar o troco merecido, e embora "prestimosa", jamais usei de servilismo mas... engoli lágrimas de desanimo, desilusão e frustração ... Não daquela frustração, de querer e não ter, bens materiais ou status social ... mas a frustração da luta inglória por ideais marcantes, não só para mim, mas também para quem me rodeava.
Prisioneira do rótulo de mulher "forte", servi muitas vezes de muro, amparei quedas, fortifiquei laços, até tornei leve a "carga" alheia ... nada de que me arrependa mas... "sufoquei"  muitas lágrimas.

Hoje, vá lá "saber-se" o porquê chorei... e tão  simplesmente, porque me dei ao "prazer" de deixar molhar o meu rosto, de "verdades" esquecidas ou apagadas quiçá...! 
Curiosamente concluí, que de tudo, o que mais me havia esquecido, foi de mim mesma e por isso... Hoje chorei !!

autoria de__ M.Cabral_pt®

23.07.20

Tudo o que escrevo, para mim é "importante", pese embora o facto, de poder ser completamente "desinteressante", para outrem, algo que entendo muito bem... posto este pequeno texto, que encontrei na "caixinha das memórias" e que vincula a Amizade...!!


Maroussia

margarida.jpg

" Margarida " 

Margarida nome de flor campestre
que brota dos campos sem cuidados
mulher de fibra criada no agreste
Alentejo, que dá rebentos tão amados

Carismática, nos seus sentimentos
de amor, carinho, ternura e de paz
vai pela vida tropeçando nos lamentos
pois alguns desgostos a vida lhe traz

Mas se hoje cai, amanha se levantará
disso não haja a mínima duvida sequer
porque jamais coragem alguém terá
para derrubar esta força de Mulher

Por isso Margarida nome de Flor
Deus... de ti, Ele sempre cuidará
porque quem vive sempre dando amor
só mais amor… Dele, receberá  !!

* nota: Texto escrito para Margarida Camacho, pelo seu aniversário em 31/12/09 (o tempo passa num átimo) 

®M.Cabral

29.06.20

O inexplicável, não se explica... entende-se, pondera-se e aceita-se !!


Maroussia

21668492_o4UV5.jpegImagem by net

 Texto de um Diário (falhado)

Olá meu caro "amigo" 

Desculpa a minha ausência (no fundo até descansaste um pouco de mim).
Não te esqueci de todo, aliás sabes que já não sei "viver" sem ti. Só que tenho andado um pouco "estranha", não diria que mal mas, menos bem.
Hoje, depois de jantar, fui a casa da filhota, para tomarmos café. Os homens para a sala da TV, em volta dos jogos, as mulheres ou seja a parte da minha prole feminina, na cozinha, em amena cavaqueira. A conversa daqui e de acolá, foi parar ao passado.
É curioso, como recordámos tantas coisas, boas e más, e à medida que a conversa foi fluindo, fomos "rebuscando" memórias e emoções.
Perdas, com lágrimas, lágrimas com "ganhos", nascimentos e vitórias, revivi de tudo um pouco.
Ri em determinadas "passagens" mas, também humedeci os olhos em outras.
Digamos que foram 3 horas como já ha muito tempo não vivenciava, sem telemóveis, sem tablets, sem tvs, sem computadores, como se o tempo tivesse "recuado". Em cima da mesa, apenas se viam chávenas de chá fumegante, um bule e um prato de biscoitos. 
Agora estando aqui para desabafar um pouco contigo, sinto-me mais plena, mais "aconchegada", porque nos dias que correm é tão difícil conseguir 3 horas, para simplesmente, apenas se conversar, e pensar que hoje isso aconteceu, enche-me a alma...!!

Agora vou descansar, se volto ou não amanhã não sei, mas volto... quiçá sine die !!

®M.Cabral

13.12.19

Esta Lisboa que eu amo. Linda antiga e bela, hoje nem tanto, o progresso pode ser "lucrativo" para alguns, a mim, destrói-me as memórias de infância


Maroussia

 

18555967_1336575039741634_4100804358155022068_n.jp                                                            imagem by internet

"Pregões de Lisboa"

Como recordo os meus tempos de menina
em que pelas ruas da minha velha Lisboa,
se ouviam belos pregões a cada esquina
em todos os bairros, de Alfama á Madragoa.

Com a mão na cintura passava a Varina
apregoava “quem quer sardinha” com voz forte,
logo gritava “olha o Século” o pequeno Ardina
a seguir o Cauteleiro “quem quer a sorte”.

Até a água também merecia o seu pregão
e aos Saloios ninguém pedia meças,
“água fresca” gritavam de bilhas na mão
que eles carregavam das fontes de Caneças.

Haviam ainda os “Moços de Recados”
que até mudanças eles faziam a pé,
e uns outros um pouco menos lavados
que davam pelo nome de “Limpa Chaminé”.

Até o Chinesinho que mal falava sequer
tinha a sua maneira de apregoar,
“glavatas" muito lindas quem as quer”
penduradas num pau para as mostrar.

Das velhas ou antigas tradições
da minha querida e saudosa Cidade,
são com certeza todos esses pregões
das muitas que recordo com saudade.

E se para alguns caíram em esquecimento
da minha mente jamais vão desaparecer,
recordo-os com carinho em cada momento
porque as Tradições de um povo não devem perecer...!!

®M.Cabral

16.11.19

Doce criança no tempo, tu verás a fronteira. A fronteira que foi desenhada entre o bem e o mal ...


Maroussia

O raio da insónia instalou-se...!  Na "secretária", uma caneca com  um excelente chá de gengibre fumegante, papeis amontoados, canetas, telemoveis...! phones nos ouvidos, a  recordar memórias de "menina" com este este "sonzaço" ... descobri que o rock, também relaxa !!!

®M.Cabral

Child In Time
Sweet child in time you'll see the line
The line that's drawn between the good and the bad

See the blind man shooting at the world
Bullets flying taking toll

If you've been bad, Lord I bet you have
And you've been not hit by flying lead

You'd better close your eyes and bow your head
And wait for the ricochet !

11.11.19

Quem quer quentes e boas, quentinhas... ?!


Maroussia

Na Praça da Figueira,
ou no Jardim da Estrela,
num fogareiro aceso é que ele arde.
Ao canto do Outono, à esquina do Inverno,
o homem das castanhas é eterno.
Não tem eira nem beira, nem guarida,
e apregoa como um desafio.

É um cartucho pardo a sua vida,
e, se não mata a fome, mata o frio.
Um carro que se empurra,
um chapéu esburacado,
no peito uma castanha que não arde.

Tem a chuva nos olhos e tem o ar cansado
o homem que apregoa ao fim da tarde.
Ao pé dum candeeiro acaba o dia,
voz rouca com o travo da pobreza.
Apregoa pedaços de alegria,
e à noite vai dormir com a tristeza.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais calor p'ra casa.

A mágoa que transporta a miséria ambulante,
passeia na cidade o dia inteiro.
É como se empurrasse o Outono diante,
é como se empurrasse o nevoeiro.

Quem sabe a desventura do seu fado?
Quem olha para o homem das castanhas?
Nunca ninguém pensou que ali ao lado
ardem no fogareiro dores tamanhas.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais amor p'ra casa.

Poema de José Carlos Ary dos Santos
Música de Paulo de Carvalho

Vídeo carregado por Alberto João (Catujaleno/Zorate).
__________________

Nota pessoal:  Votos de um Feliz Dia de São Martinho
mas... sejam comedidos, no comer e beber

®M.Cabral

06.11.19

Porque nunca gostei de dias pré-concebidos pelo Homem... hoje, é mais um dia, do pai. Feliz de quem o tem presente !!


Maroussia

 

sombra pai0.jpg

”  PAI  “ 

Tu és a semente do meu ser

 foi em ti que eu primeiro nasci,

depois foi o amor a prevalecer,

nove meses depois eu apareci.

 

Queria tanto saber como dizer-te

todo o amor que sinto cá dentro

e  também queria agradecer-te

da minha vida cada momento.

 

És a luz que sempre me ilumina

quem melhor me indica o caminho,

és tu quem sempre me anima

com demonstrações de carinho

 

Trabalhas tanto para meu sustento

 porque queres que eu seja GENTE,

mas eu com pouco me contento

basta-me ter-te sempre presente.

 

E se apenas num o dia se celebra

e é sinónimo de tantas alegrias,                                      

eu sem querer quebrar qualquer regra

para mim, dia do Pai, são todos os dias !!
________________________
algures nos anos 70
®M.Cabral


06.10.19

Memórias de menina... no florescer do romantismo !!


Maroussia

Foi ao ouvir estas musicas em vinil, que me tornei numa "menininha" romântica. Já na adolescência (ainda com o género musical dos anos 70, em voga)  dançadas nas academias e nos clubes, passaram a fazer parte dos breves "namoricos" da juventude. Hoje continuo a gostar de ouvir estas preciosidades que me emocionam. Saudades ? Claro que sim... seria tola se as não sentisse, mas estão bem arrumadas nas lindas memórias desse tempo... porque a vida continua e muda a cada segundo... !!

®M.Cabral

02.10.19

 Após 7 anos de "negação" !


Maroussia

                                            

14054040_1078754345523706_4529148367205612108_n.jp

Recordo quando te li este texto, como te emocionaste, mas eu sabia que tinha de escrever "isto" assim antes que fosse tarde demais. Hoje, senti algo fora do comum e eis que dou comigo a "mostrar" o que era nosso. Só vejo uma razão. Já é tempo demais para te " aprisionar "... Tens de viver só no meu coração, é lá que vou amar-te eternamente e onde ficarás junto à "saudade" ...💜🙏

” MÃE “

Olho embevecida aquele rosto
enrugado pelo passar do tempo,
muito marcado pelo desgosto
vencido e já quase sem alento.

Pobre mãe quanto passaste
para fazer de mim mulher
as orações que rezaste
para eu nunca me perder.

Tentei nunca te desiludir
fazendo o melhor que sabia,
pois só de te ver sorrir
já tinha tudo o que queria.

Trabalhavas sem parar
nem o cansaço te vencia,
para nunca me faltar
o nosso pão de cada dia

De mulher passei a mãe
tal como tu o foste um dia,
e como recordo bem
a tua imensa alegria.

Passaste de mãe a avó
de duas netas tão queridas,
jamais te sentirás só
estaremos sempre unidas.

E quando fores mais velhinha
e Deus te quiser ao Seu abrigo,
podes crer querida mãezinha
que parte de mim, vai contigo.

 

_®M.Cabral (autoria)

01.10.19

Memórias distantes mas... presentes !!


Maroussia

ANSE.jpg


" Anseio "

Anseio, loucamente o entardecer
anseio, nele a hora de te ver

Anseio, demais pelos teus beijos
Anseio, neles abafar os meus desejos

Anseio, sentir-me mulher contigo
Anseio, passar a noite sem ter dormido

Anseio, sentir os teus carinhos
Anseio, cruzar nossos caminhos

Anseio, tudo o que vem de ti
Anseio, pertencer-te desde que te vi

Anseio, nesta ansiedade louca
Anseio, sentir o gosto da tua boca

Anseio, acabar com este sofrer
Anseio, que este dia acabe, para te ver !!


24/12/89

®Maria Cabral (autoria)

imagem by net