Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

MAROUSSIA

Um pouco de mim... Sobre o que sinto, ouço, escrevo e gosto !!

08.05.20

Quando um animal se transforma em pura Poesia... !!


Maroussia

É tanta beleza contida neste pequeno "apontamento", onde o porte, a beleza e a perfeição do animal que amo de paixão, se enleia em excelentes imagens ao sabor da música,  que me apeteceu partilhar convosco, este video (feito já há uns bons anos) idealizado por mim,  logo de minha autoria. 

®M.Cabral

04.05.20

Hoje, 31 anos já passados, continuo em estado permanente de felicidade e orgulho, pelo excelente Ser Humano que " coloquei " no Mundo...Obrigada meu amor por me teres escolhido para tua mãe. Parabéns filhota e sê feliz forever* !!


Maroussia

31anos.jpg

“  UM SER  “              

Cromossomas, coisas complicadas
nomes tais que, parecem palavrões
palavras que são pouco adaptadas
para com elas, se exprimirem sensações.

Se com uma palavra apenas
e o tempo a decorrer
se encontra o valor
para tudo resolver.

A palavra é o … Amor
o tempo… o que falta para nascer.

E eis que a espera acabou,
embora com certo temor
recebemos essa dor
como dádiva do Céu

Minha filha, eu aqui estou
para te receber com amor
este AMOR que é todo teu !!

04/05/89

®M.Cabral

02.02.20

Da Tertúlia, resta o imaginário, o "espaço" e uma imagem... !!


Maroussia

 

c6c4e17c638f4f660543aab10da63c6a.jpgImagem by net

"Desgarrada" das 15 rimas !!

_Rui_
Marcado fico de carmim,
Pelos lábios de Maria,
Paira o cheiro de Jasmim,
Enlouqueço de Alegria.
_Maria_
Não enlouqueças assim
Por uma coisa tão pouca
Se apenas basta o carmim,
Até eu, vou ficar louca.
_Rui_
São esses teus Olhos de Deus,
Que tanto sonho em olhar,
Sonhos teus toquem nos meus,
Sério momento de abraçar
_Maria_
Olhos de Deus só tu vês
Fazem parte do meu "olhar"
Nem pensei uma só vez
Com eles fazer sonhar.
_Rui_
Que esse dia chegue depressa
De um livro editar"
Serás Deusa é promessa,
Em páginas que vou louvar.
_Maria_
Mas que tamanha honraria
Deusa...? não mereço tal.
Sou apenas a Maria
Mas te darei o meu aval ... !
_Rui_
No livro vai constar,
Esta Poesia á capela,
Vou ter de registrar,
O que vejo da janela.
_Maria_
Tu da janela, eu do varandim,
Quiçá tal obra tenha sucesso
Tudo começou pelo carmim
Que de cor, passou a verso.
_Rui_
Com a tua licença,
Terei de copiar,
É certo uma crença,
Pois estou a amar.
_Maria_
Licenciado já tu estás
Pois foste quem encetou
Por mim, já não volto atrás
Quando aqui, já se chegou.
_Rui_
Seguimos de verso em verso,
Que bonita descrição,
A medalha tem reverso,
Escrita com prontidão.
_Maria_
De verso em verso trocamos
E sem grandes ambições
Este "caminho" que andamos
Ao sentir dos corações.
_Rui_
Escrita por ti Maria,
Não pela mãe de outrora,
Palavras eu já dizia,
Sem amor eu vou-me embora.
_Maria_
Com tanta palavra sentida
É pena ter de haver fim
Porque colorimos a Vida
Que ficou cor de ... Carmim !
_Rui_
Alguém grita olha o "clock",
Era a voz do editor,
Podem publicar no Blog,
Chegou ao fim, sim Senhor !!

®M.Cabral
®Rui Sousa

_Nota de autores:_ Sem qualquer ponta de ambição que seja uma "poesia". É somente um "texto" em rimas (escrito a dois) e  "fruto" de uma noite de "desafios" !!

11.11.19

Quem quer quentes e boas, quentinhas... ?!


Maroussia

Na Praça da Figueira,
ou no Jardim da Estrela,
num fogareiro aceso é que ele arde.
Ao canto do Outono, à esquina do Inverno,
o homem das castanhas é eterno.
Não tem eira nem beira, nem guarida,
e apregoa como um desafio.

É um cartucho pardo a sua vida,
e, se não mata a fome, mata o frio.
Um carro que se empurra,
um chapéu esburacado,
no peito uma castanha que não arde.

Tem a chuva nos olhos e tem o ar cansado
o homem que apregoa ao fim da tarde.
Ao pé dum candeeiro acaba o dia,
voz rouca com o travo da pobreza.
Apregoa pedaços de alegria,
e à noite vai dormir com a tristeza.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais calor p'ra casa.

A mágoa que transporta a miséria ambulante,
passeia na cidade o dia inteiro.
É como se empurrasse o Outono diante,
é como se empurrasse o nevoeiro.

Quem sabe a desventura do seu fado?
Quem olha para o homem das castanhas?
Nunca ninguém pensou que ali ao lado
ardem no fogareiro dores tamanhas.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais amor p'ra casa.

Poema de José Carlos Ary dos Santos
Música de Paulo de Carvalho

Vídeo carregado por Alberto João (Catujaleno/Zorate).
__________________

Nota pessoal:  Votos de um Feliz Dia de São Martinho
mas... sejam comedidos, no comer e beber

®M.Cabral

25.10.19

Sabes...


Maroussia

chap1.jpg

 

Há amores intensos e outros fugazes
mas há amores como o nosso
que de tudo são capazes.

Há promessas de eterno amor
mas também há promessas
sem qualquer tipo de valor.

Eu acredito em amor e promessas
daí, continuar à tua espera
com certezas e até sem pressas.

Sei que um dia vais voltar
nunca faltaste à palavra dada...
o teu chapéu, está no mesmo lugar.

Intocável, seja por quem for,
é ele que me dá a garantia,
que voltarás aos meus braços...
meu amor !!

®M.Cabral
foto by net 

22.10.19

Amor de almas... quiçá o mais puro !!


Maroussia

para escolher - Luz.jpgDuas almas foram unidas
por um "gostar" inabalável
duas vidas são vividas
por uma força incontrolável

Não é fácil de entender
ao mais simples dos mortais
como existe tanto querer
em condições tão "especiais"

Gostar a uma tal distância
e sem esperança num futuro
será uma "inconstância" ?
ou a força de um querer puro...

Ser apelidados de loucos
é de todo o que se espera
abençoada seja a loucura
que do Inverno, faz Primavera !!

®M.Cabral

04.10.19

Uma das melhores musicas (entre muitas), deste compositor, autor e não só, de que muito gosto... !!


Maroussia

 

Porque gosto e porque o conteúdo mexe comigo, entre o som e as palavras, e também porque... o inexplicável só tem "explicação" plausível, através do que possamos ser capazes de sentir ou seja, de "sensações"...!!

®M.Cabral
................................

" Dor sem alibi "

Ver um quarto de lua
Uma espada nua
Uma mão de terra
Coração de guerra
A bater por ti
Dor sem álibi
Rasga-me de luz
Rouba-me da cruz
Sombra de trovão
Pássaro de mão
A palpitar por ti
Dor sem álibi
Beija-me outra vez
Ninguém sabe quando a noite vem
Beija-me outra vez
Ninguém sabe quantos beijos tens
Vê, diz que eu morri
Em batalhas por aí
Encontrei-me só
Bebi chuva com pó
Vinho nunca vi
Dor sem álibi
A rua parou
Há neve e não nevou
Como principezinho
Tão sério e sozinho
Por favor sorri
Dor sem álibi
Beija-me outra…vez !

by Pedro Abrunhosa

01.10.19

Memórias distantes mas... presentes !!


Maroussia

ANSE.jpg


" Anseio "

Anseio, loucamente o entardecer
anseio, nele a hora de te ver

Anseio, demais pelos teus beijos
Anseio, neles abafar os meus desejos

Anseio, sentir-me mulher contigo
Anseio, passar a noite sem ter dormido

Anseio, sentir os teus carinhos
Anseio, cruzar nossos caminhos

Anseio, tudo o que vem de ti
Anseio, pertencer-te desde que te vi

Anseio, nesta ansiedade louca
Anseio, sentir o gosto da tua boca

Anseio, acabar com este sofrer
Anseio, que este dia acabe, para te ver !!


24/12/89

®Maria Cabral (autoria)

imagem by net
 

28.09.19

Caminhando sem... rumo !!


Maroussia

 

MCuva.jpg

” CAMINHANDO “

Caminho sem rumo
na estrada deserta
nada me desperta.

Nem a chuva que cai
mansinha e persistente
me faz lembrar que sou gente.

No céu uma estrela
cintilante e bela
me olha com dó.

Na estrada deserta
nada me desperta
caminho tão só.

E sem ter ninguém
só a solidão
escuta o que eu digo

Caminho sem rumo
na estrada deserta
caminho, comigo !


®Mª.Cabral (autoria)
     __sob licença SPA__
imagem by net

 

13.07.10

Há dias em que também eu me sinto... Uma alma perdida !!!


Maroussia

 

 

22519452_1472857732780030_2980768717292998766_n.jpLÁGRIMAS 

Perdem-se as lágrimas que derramamos

rolando pelos nossos rostos já molhados,

porque se perde alguém que muito amamos

porque simplesmente ficamos abandonados.

 

Lágrimas são a fuga mais reconfortante

dos maus momentos de qualquer vida,

também podem ser fruto de um inconstante

ou de uma situação por nós não definida.

 

Lágrimas, também existem de felicidade

de alegria ou de incontidas emoções,

algumas são derramadas pela saudade

outras pelos desencantos das paixões.

 

Lágrimas choram as mães ao ver partir

seus filhos, para o mar ou para a guerra,

Lágrimas choram os filhos ao verem ir

os pais para bem longe da sua terra.

 

Lágrimas existem nos nossos olhos

até no mais insensível ser humano,

quando recordamos quem nos escolhos

vive cada dia, cada mês ou cada ano.

 

Lágrimas, quem sabe se a sangue têm sabor

as de a mãe que seu filho dá para adoptar,

para que ele tenha bem estar e não só amor

tudo, que por má sorte, ela não lhe pode dar.

 

Lágrimas, apenas lágrimas e nada mais

um líquido incolor e com leve sabor a sal,

palavras para as qualificar, são demais

porque todos nós já as derramámos afinal.

 

autoria de__ M.Cabral_pt®

23.01.10

Para todos aqueles que tanto correm pela Vida... Aqui lhes deixo um lindo poema que nos faz pensar ... A CORRIDA !!


Maroussia

sankt-peterburg-nevskiy.jpg

Corrias alegremente pelos campos em flor na inocência dos teus sonhos de criança.

Depois corrias pelas praias de mãos dadas com o amor,  esse mesmo amor para quem te desnudaste e deixaste que te possuísse, te percorrendo.

Correram em ti as dores sagradas do parto e, mais uma vez voltaste a correr com as crianças pelos campos em flor.

Correram pelos teus dedos os fios das lãs e das linhas com que fazias orgulhosa as vestes das crianças.

Das tuas mãos corriam as massas dos biscoitos,  que depois de prontos  guardavas na caixa redonda de folha, com umas rosas pintadas,  já gastas e desbotadas, e por esses biscoitos de novo corriam as crianças ao teu redor.

Correste para abraçares os filhos, depois corrias para abraçares os netos.

Nessa correria passaste pela vida ou talvez a vida tenha passado por ti.

Hoje o teu corpo já cansado  cai inerte nas lajes frias de uma rua qualquer da cidade , uma chuva miudinha e silenciosa, não se fez esquecida,  como se o céu chorasse por ti.

As pessoas correm à tua volta,  sem te ver,  mas para  ti já  tudo é indiferente,  nada mais interessa… 

                                                   a tua corrida terminou !!

 

autoria de__ M.Cabral_pt®